Projeto SALTPONTE II


Projeto de Levantamento, Monitoramento e Resgate do Patrimônio Histórico, Cultural, Paisagístico, Paleontológico e Arqueológico nas áreas de abrangência de duas pontes sobre o Rio Tocantins, que interligarão os municípios de Miracema do Tocantins a Lajeado e de Barra do Ouro a Filadélfia no Estado do Tocantins.


A atual legislação que trata do patrimônio cultural brasileiro é fruto de um longo processo no qual se cunhou o conceito de patrimônio e as estratégias para a sua preservação. Essa legislação visa, entre outros objetivos, evitar que as transformações sociais, econômicas e culturais que vem ocorrendo no Brasil e no mundo, nas últimas décadas, afetem negativamente os patrimônios da nação.

Como exemplo dessas transformações, podemos citar as construções de rodovias, hidroelétricas, pontes e ferrovias, adotadas pelo Estado como obras estratégicas para o desenvolvimento econômico do País. Como medidas mitigadoras e preservacionistas, a legislação estabelece que sejam criadas políticas que visem à identificação, o gerenciamento, a divulgação e as ações de salvaguarda das riquezas naturais, histórico-culturais, paisagísticas e paleontológicas, dentre outras, nas áreas de influência de qualquer empreendimento de pequeno, médio e grande porte e que afetem camadas de solos.

Um dos principais mecanismos para criação dessas políticas é a Resolução CONAMA nº 001 de 1986. Essa Resolução, além de regulamentar os Estudos de Impactos Ambientais (EIA) e os Relatórios de Impactos Ambientais (RIMA), determina que sejam feitos estudos que contemplem o patrimônio cultural nas Áreas de Impacto Direto (AID) e Indireto (AII) dos empreendimentos.

Com essa preocupação, em consonância com essa Resolução e com a Legislação vigente, o Projeto SALTPONTE II buscou promover estratégias de preservação do patrimônio cultural na região de abrangência da construção das pontes sobre o rio Tocantins que interligarão os municípios de Miracema do Tocantins a Lajeado e de Barra do Ouro a Filadélfia.

No Projeto de Arqueologia foi incluído um subprojeto autônomo, mas que foi executado de forma integrada à Arqueologia, o Patrimônio Histórico, Cultural e Paisagístico.

Através do Programa de Arqueologia buscou-se resgatar e salvaguardar os testemunhos arqueológicos ou os vestígios da cultura material pretérita, que podem contribuir para estudos sobre a presença humana na região do médio Tocantins e, conseqüentemente, compreender sua evolução Cultural/Tecnológica, cuja principal evidência se encontra nos artefatos.

Para tanto, as atividades de pesquisas realizadas através de um projeto foram divididas em quatro etapas. A saber: Levantamento/Prospecção de sítios arqueológicos nas Áreas de Impacto Direto e Indireto das pontes; monitoramento das atividades da engenharia com o propósito de salvar vestígios culturais revolvidos pela ação das máquinas; salvamento dos vestígios dos sítios arqueológicos encontrados; e, por fim, as atividades de análises em laboratório dos vestígios arqueológicos coletados.

Com o Subprojeto de levantamento do Patrimônio Histórico, Cultural e Paisagístico a pesquisa buscou identificar e registrar as diversas dimensões que juntas constituem elementos portadores de historicidade e representativos da cultura de cada localidade, de forma a apresentar um quadro demonstrativo do patrimônio cultural dos municípios de Miracema do Tocantins, Lajeado, Barra do Ouro e Filadélfia. E com o Levantamento e Resgate dos Vestígios Paleontológicos objetivou-se, principalmente, estudar e salvaguardar vestígios fósseis.

Os patrimônios materiais e imateriais levantados e resgatados pelas atividades de pesquisas do Projeto SALTPONTE II foram de fundamental importância para o desenvolvimento das ações de Educação Patrimonial, pois o princípio básico da Educação Patrimonial é a experiência direta com os bens e fenômenos culturais, para se chegar à sua compreensão e valorização, num processo contínuo de descoberta. É a partir da experiência e contato direto com o patrimônio cultural, que o trabalho da Educação Patrimonial busca levar as crianças e adultos a um processo ativo de conhecimento, apropriação e valorização de sua herança cultural (Horta, 2006).

Assim, buscou-se promover a metodologia da Educação Patrimonial considerando-a como um instrumento valioso para o trabalho pedagógico dentro e fora da escola, como um caminho viável para se alcançar a valorização e preservação das heranças culturais de um grupo de pessoas. As escolas e seus educadores assumem, assim, importante função social.

Ao entender a relevância desse papel social, as atividades de Educação Patrimonial, realizadas por nossa equipe, foram direcionadas para as unidades de ensinos (estadual, municipal e particular) dos municípios envolvidos, seus docentes, coordenadores e gestores, sem, no entanto, deixar de convidar as autoridades locais, os estudantes, funcionários das prefeituras e secretarias municipais, vereadores e representantes das populações locais.

  • Galeria de Fotos


  • Voltar

    2008 - Unitins - Todos os direitos reservados
    108 Sul Alameda 11 Lote 03 Cx. Postal 173 - CEP.: 77020-122 - Palmas-Tocantins