Pesquisadora da Unitins realiza estudo sobre qualidade dos solos do Tocantins

Pesquisa pode contribuir para melhorar a eficiência da adubação fosfatada que é a principal usada na correção dos solos do Estado

Ruy Bucar CERRADO 03/11/2022 10:23

 A pesquisadora da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) mestre Nayara Monteiro Rodrigues desenvolve estudo sobre qualidade dos solos do Tocantins, considerado estratégico para o aumento da produtividade do cerrado. Com o título “Adsorção de fósforo em solos do Estado do Tocantins", o estudo busca traçar um mapa da qualidade dos solos do Estado, com vista a capacidade de absorção de fósforo e que tem como objetivo orientar a correta aplicação de adubo para o cultivo.

 

A pesquisadora aponta que a baixa fertilidade natural é uma das principais limitações dos solos do cerrado brasileiro. Esses apresentam avançado estágio de intemperismo e material coloidal com baixa capacidade de troca de cátions e baixos teores de elementos essenciais às plantas. Nayara enfatiza que maioria dos solos da região é constituída por Latossolos altamente intemperizados e Argissolos, com limitações à produção de alimentos, devido à baixa fertilidade natural.  “São solos ácidos que apresentam baixa disponibilidade de nutrientes”, ressalta.

 

Além dessa deficiência, os solos do cerrado possuem ainda alta saturação por alumínio, como, também, alta capacidade de fixação de fósforo, com predomínio de óxidos de ferro e de alumínio e CTC reduzida, de forma que as reservas deste nutriente, nesses solos, não sustentam cultivos sucessivos sem adubações. Daí a importância da pesquisa para orientar a correta aplicação de adubação a base de fosfato.

 

A pesquisadora enfatiza que, ao contrário dos demais nutrientes, a adubação com fósforo assume a particularidade de ter-se que aplicar uma quantidade bem maior do que aquela realmente exigida pelas plantas, pois, antes de tudo, torna-se necessário satisfazer a “exigência” do solo, saturando os componentes responsáveis pela fixação de fósforo.

 

O professor doutor Expedito Cardoso, que orienta a pesquisa, explica que a eficiência da adubação fosfatada em solos tropicais é influenciada por vários fatores. “O tipo de adubo e tempo de aplicação influencia diretamente nessa eficiência”, ressalta o professor, apontando que em caso de solos tropicais, como é o caso do Tocantins, essa eficiência é muito baixa. “Isso se dá em função dos altos teores de óxido de ferro e de alumínio e essa mineralogia favorece a fixação do fósforo no solo”, observa o professor, enfatizando que, quando se tem baixa eficiência, aumentam os custos da produção.

 

Cerrado

A área sob vegetação de cerrado no Brasil compreende cerca de 22% da área total do País. A área contínua incide sobre os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal, além dos encraves no Amapá, Roraima e Amazonas.

 

 

 

162
Ouvidoria
Geral do Estado do Tocantins
Acesso à Informação
Portal da Transparência
Demonstrativos da UNITINS