Pesquisa Notícia

  • 14/06/2018 13:44:00
  • 14/06/2018 14:38:06
  • Carlos de Bayma

Unitins e Naturatins preparam termo de cooperação para Projeto Quelônios do Tocantins

Criado em 1995, o Projeto Quelônios do Tocantins tem como objetivo a proteção dos principais quelônios de água doce do Brasil.



A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) recebeu, na manhã dessa quarta-feira, 13, o coordenador do Projeto Quelônios do Tocantins, Luciano Czapski, da Secretaria Geral de Governo, e o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Gilberto Iris Souza Oliveira. Participaram da reunião a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Ana Flávia Gouveia de Faria, a diretora de Pesquisa Institucional, Luciana dos Santos Dias de Oliveira, a pró-reitora de Extensão, Kyldes Vicente, e a diretora de Extensão, Alessandra Ruita. Durante o encontro, Luciano Czapski e Gilberto Iris Souza Oliveira fizeram a apresentação do Projeto Quelônios do Tocantins.

O coordenador do Projeto Quelônios do Tocantins, Luciano Czapski, explanando sobre o projeto. (Foto: Cristian Reurison/ Ascom Unitins).

“É como uma ferramenta de monitoramento da biodiversidade específico para os quelônios. Há dois anos temos concentrado esforços para reativar esse projeto. No ano passado soltamos mais de 17 mil quelônios. São mais de 300 covas e 15 praias monitoradas. Isso representa uma projeção de sobrevivência da espécie, pois, sem a nossa intervenção, o índice de sobrevivência dos filhotes é de 1%. No entanto, com o trabalho que realizamos, esse índice aumenta para 12%”, destacou Oliveira.

 

O coordenador do projeto declarou que a reunião foi um encontro muito proveitoso. “Há muito tempo tínhamos a expectativa de encontrar uma parceria para realizar pesquisa. Hoje dominamos a reprodução dos quelônios. A segunda fase agora é a realização de pesquisas para ver o que pode ser feito para melhorar tanto o projeto quanto a sobrevivência desses animais e o meio ambiente”, explicou Czapski.

 

A pró-reitora de Extensão, Kyldes Vicente, se mostrou bastante sensibilizada com o projeto e encorajada para somar essa luta pela preservação dos quelônios. “É um projeto muito bonito. Mas é necessário que todo o esforço desse projeto seja potencializado com trabalho social, de conscientização junto às comunidades ribeirinhas para a preservação. E, nesse momento, entra a nossa participação com ações educativas e de conscientização”.

 

Ciente da importância do projeto, a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Ana Flávia Gouveia de Faria, explica que a colaboração da Unitins está assegurada, ainda que seja apenas com recursos humanos.

 

“É um projeto lindo. Tivemos essa primeira reunião para conhecer melhor o projeto, objetivos, as necessidades, e falar do que buscamos e podemos oferecer. O próximo passo é a formalização do termo de cooperação entre Unitins e Naturatins para o desenvolvimento de diversos projetos de pesquisas. No próximo dia 22 teremos mais uma reunião para ver os encaminhamentos do termo de cooperação. Vamos inscrever o projeto em editais e vamos buscar institucionalizá-lo na Pesquisa e na Extensão da Unitins”, explicou Ana Flávia.

 

O Projeto

Situado no extremo Norte da Ilha do Bananal, o Parque Estadual do Cantão reúne os biomas Cerrado, Floresta Amazônica e Pantanal. É nesse santuário ecológico que está instalada a sede do projeto, e é também onde as ações são desenvolvidas.

 

Criado em 1995, o Projeto Quelônios do Tocantins tem como objetivo a proteção dos principais quelônios de água doce do Brasil, ou seja, a tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa) e o tracajá (Podocnemis unifilis).


© Universidade Estadual do Tocantins - UNITINS
108 Sul Alameda 11 Lote 03, Cx. Postal 173, CEP: 77020-122, Palmas-TO
FONES: (63) 3218-4936 / 3218-2902 / 3218-2974
Desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da Informação